Imagine a trama de uma rede elástica.

Coloque-se agora debaixo dela com pelo menos mais uma pessoa (que esteja em Belo Horizonte, São Paulo ou Moscou);

Cada pessoa ocupará um buraco da rede;

Agora mova-se e não deixe seu nó estourar!

Redes Vestíveis é uma performance coletiva baseada numa rede virtual elástica, geolocalizada e graficamente representada nas telas de aparelhos celulares.

Duas ou mais pessoas conectam-se a ela e tornam-se novos nós da trama -, que se tensiona por meio de movimentos e deslocamentos físicos em espaços

próximos ou distantes. O corpo que se movimenta dentro da rede virtual incita o movimento dos outros, que caso não se movimentem também, fazem

esgarçar e estourar os nós da rede, desconectando o sujeito participador do trabalho. A informação toma o corpo e o move.

Sugere-se novas experiências para este corpo espacialmente localizado e em rede, que performa diante do que não vê, mas sente, entre corporal e incorporal.

CRÉDITOS

Concepção e Direção: Cláudio Bueno [claudio.bueno@gmail.com]

Programação: Roger Sodré - Studio Avante

Foto Capa: Cauê Ito

Redes Vestíveis foi contemplado pelo prêmio Mídias Locativas do Festival Vivo Arte.Mov 2010